Palhaço de Hospital: Proposta Metodológica de Formação

23-12-2010 20:38

AUTORA: ANA LUCIA MARTINS  SOARES

INSTITUIÇÃO: UNIRIO

RESUMO: É possível formar o palhaço de hospital? Como? Do que precisa saber? Quanto tempo necessita para atingir seu objetivo? Na tentativa de pensar essas questões, propus uma estrutura de capacitação para o palhaço de hospital que se estruturou a partir da experiência das ações empreendidas entre 1999 e 2007 no Programa Interdisciplinar de Formação, Ação e Pesquisa Enfermaria do Riso, criado em 1998 na UNIRIO, com o intuito de promover a atuação de estudantes do Curso de Bacharelado e Licenciatura em Artes Cênicas da Escola de Teatro como enfermeiros-palhaços, no serviço pediátrico do Hospital Universitário Gaffrée & Guinle. A partir dos estudos desenvolvidos no meu doutoramento em Teatro, configurei a premissa de que para atuar em ambiente hospitalar não basta a formação atorial do palhaço, mas impõe-se uma especialização, com práticas e conhecimentos específicos, testados em ambiente real e avaliados sistematicamente. Fora algumas exceções como, por exemplo, o Programa Doutores da Alegria que realiza audições formativas para atores/palhaços profissionais, no Brasil, em geral, essa experiência de formação do palhaço de hospital é informal ou inexistente. O palhaço precisa se formar, se preparar e escolher, sobretudo escolher, como uma forma de atuação profissional, o trabalho com crianças no hospital. O ator que escolhe o palhaço para atuar num hospital, está definindo uma linguagem artística como instrumento para se relacionar com o outro. O palhaço se dirige ao que é saudável numa criança que está doente, no intuito de manter vivas as suas possibilidades de criar, de sonhar, de rir.

Clique no link para ler o artigo:

http://www.radiomargarida.org.br/wp-content/uploads/Palhaço-de-hospital.pdf  Palhaço de hospital

Voltar